Viajar em busca de altas ondas é uma das principais realizações na vida de um surfista. Agora, uma coisa que faz toda diferença numa surf trip é a parceria.

Um amigo cheio de manias ou uma namorada acostumada com confortos excessivos podem amargar o doce sabor de uma viagem de surf.

No caso do nosso brother e colaborador Andre Chiesaa parceria na viagem de sua vida foi a, até o então, namorada Fernanda Zenatto. Juntos, eles foram até a Costa Rica, um dos países mais visitados pelos amantes do surf, da natureza e da Pura Vida. Será que deu certo?

Abaixo, confira o vídeo e um breve resumo da trip, ambos produzidos pelo próprio Andre!


“A viagem para Costa Rica foi sonhada e organizada há praticamente 2 anos. Era, primeiramente, um desejo meu, pela questão do surf, da variedade de ondas e da vontade de conhecer novos picos.

Logo se tornou um desejo nosso, meu e da Fernanda, pois ela viu que o lugar oferece muito mais do que apenas surf, tal como lugares paradisíacos e até outras possibilidades de “aventuras”, como tirolesas enormes e passeios surreais pelo interior do país.  

Resolvemos que, depois de 3 anos juntos, lá seria o lugar ideal para noivar e pensar uma vida a dois nesse “lifestyle”.

Chegamos a San José (capital), alugamos um carro e saímos em direção ao litoral. Ficamos os dois primeiros dias em Jacó, mais precisamente na Playa Hermosa, um pico muito legal, com uma onda na beira da praia, suave sem ter que remar muito. Nesse período não havia um swell grande, porém, a constância do lugar sempre propiciava boas ondas.

San José – Costa Rica

Passados esses dois dias, partimos para Mal País, mais precisamente na Playa de Santa Teresa – indicação de um grande amigo que vai quase todo o ano pra Costa Rica. Lugar paradisíaco, altas ondas, constância direta, esquerdas e direitas à vontade, para lavar a alma mesmo! Melhor horário de surfar sempre é pela manhã bem cedinho, onde quase não tem crowd e a onda é lisa, espelhada, coisa de cinema.  

Andre Chiesa – Costa Rica 2018

Passamos dez dias surreais, clima quente, finais de tarde de tirar o fôlego e chegamos a conclusão que uma única ida até lá não seria possível, pretendemos voltar com toda a certeza!

A rusticidade e a simplicidade do lugar é algo que nos atraiu demais, além da possibilidade de pegar ondas cinematográficas. Meu surf evoluiu em 10 dias o que demoraria anos aqui no sul do RS.  

Recomendo essa trip, sem dúvidas, com a gata, com amigos ou até mesmo sozinho, pois a receptividade da galera é muito boa dentro e fora d’agua e tem programação para todos os estilos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *